- AMERICAN IDOL - THE VOICE US/UK - THE X FACTOR

- ÍDOLOS - THE VOICE BRASIL - THE VOICE KIDS

The Voice US 2016, Season 10: Live Playoffs, Part 1 (S10E14)

The Voice USA 2016 Bryan Bautista Live Playoffs

Os shows ao vivo do The Voice USA 2016 começaram! Na primeira noite de Live Playoffs, os times de Christina Aguilera e Blake Shelton se apresentaram em busca dos votos do público.

Nick Hagelin, desclassificado do Team Pharrell na etapa dos nocautes, e Justin Whisnant, eliminado do Team Blake na fase das batalhas, voltaram para o programa através do Coach Comeback (Wildcard). Nick foi resgatado por Xtina, enquanto Justin retornou para os braços do técnico Blake.

Assista aos vídeos e leia os comentários do Coloca!

Review – The Voice USA 2016, Season 10: The Live Playoffs, Part 1 (S10E14) – Episódio completo.

Team Christina Aguilera:

Team Xtina The Voice USA 2016

Team Blake Shelton:

Team Blake Shelton The Voice USA 2016

Paxton Ingram – How Deep Is Your Love (Calvin Harris)

idolometro

Presença de palco espetacular, como sempre. Paxton conseguiu dançar e cantar ao mesmo tempo. E sem desafinar. Essa habilidade é rara e merece créditos, mas não dá pra aceitar uma song choice dessas. Apesar de ter feito mudanças interessantes no arranjo, essa música não serve pra cantar ao vivo e não permitiu que o vocal dele brilhasse.

Ryan Quinn – I’m Not the Only One (Sam Smith) – Team Christina

idolometro

Eu realmente esperava muito mais dele. Ryan Quinn surgiu como front-runner, mas já perdeu esse posto. É uma grande voz, porém semanas se passaram e ele continua duro no palco. Até agora ele não superou nem a própria audition. Outro detalhe que não gostei foi a Xtina pedir que ele se apresentasse sem os óculos. É um acessório que já faz parte da imagem que construímos de Ryan e senti falta.

Katie Basden – Georgia Rain (Trisha Yearwood) – Team Blake

idolometro

Ela canta absurdos e tem uma voz lindíssima, mas escolheu a música errada. Acabou sendo uma performance morna e esquecível. É uma pena, já que é a minha cantora country favorita na atual temporada.

Kata Hay – You Make Me Feel Like A Natural Woman (Aretha Franklin) – Team Christina

idolometro

Ela está longe de apresentar vocais perfeitos ou ser a melhor cantora da competição, mas é incrível como Kata Hay está me surpreendendo a cada nova performance. Hoje ela foi maravilhosa – e olha que eu fico comparando “Natural Woman” sempre com a versão da Kelly Clarkson. Kata estava mais linda do que nunca e, mais uma vez, colocou fogo no palco.

Nick Hagelin – Stay (Rihanna) – Team Christina

idolometro

Gostei do novo visual. Dá pra notar como o Nick está em constante evolução. Da audição pra cá, ele só melhorou. Já estou cansado de tanto ouvir essa música em realities, mas o rapaz conseguiu entregar toda a emoção necessária e ainda mostrou a beleza de seu timbre. Eu só teria finalizado a apresentação de uma forma mais impactante.

Joe Maye – Long Train Running (Doobie Brothers) – Team Blake

idolometro

Ainda não é o mesmo Joe da audição, mas muito melhor do que as tragédias das semanas anteriores. Ele deixou a música um pouco mais lenta no início e eu adorei. Você já reparou como o Joe fica parecendo uma daquelas minhocas do filme ‘MIB’ com essa movimentação de palco esquisita e, ao mesmo tempo, instigante?

Adam Wakefield – Seven Spanish Angels (Willie Nelson) – Team Blake

idolometro

Não conhecia a música, então fui ouvir a música original e, ó: Adam Wakefield tomou a canção pra si e fez uma versão melhor que a original. Não precisa nem gostar de country pra reconhecer o quão boa foi essa performance. Fiquei feliz por ver que o rapaz voltou a se apresentar com um instrumento, pois ele fica muito exposto e sem direção quando está de mãos vazias.

Tamar Davis – Rise Up (Andra Day) – Team Christina

idolometro

Essa é a song choice certa pra fugir da imagem de diva datada. Tinha tudo pra ser um espetáculo, mas Christina matou a menina. A técnica pediu um arranjo mais acelerado e isso não combinou nadinha com a música. Pobre Tamar. Ela, que sempre apresentou vocais perfeitos, desafinou horrores hoje.

Mary Sarah – I Never Promised You A Rose Garden (Lynn Anderson) – Team Blake

idolometro

Você bem sabe / que eu não lhe prometi um mar de rosas – “Mar de Rosas”, The Fevers.
Quão cafona eu sou por adorar essa música? A voz da Mary Sarah nunca esteve tão linda como nessa apresentação. O início da performance foi espetacular e torci para que ela continuasse naquele ritmo. Pena que ela quis acelerar o arranjo e a magia se perdeu um pouco. De qualquer forma, gostei dela hoje. Estava bonita e fez uma boa movimentação pelo palco. O problema é que é a segunda semana que ela canta uma música que não causa impacto algum. Se continuar no programa, ela precisa pegar uma música forte e arrasar nos agudos também, senão acaba ficando tudo muito tedioso.

Bryan Bautista – Pillowtalk (Zayn Malik) – Team Christina

idolometro

Eu não coloco em dúvida a habilidade vocal do Bryan Bautista. Ele é uma das melhores vozes masculinas da temporada – se não for a melhor. O problema é que eu gosto tanto da versão original de “Pillowtalk” que não consegui curtir a apresentação do Bryan. O visual estava espetacular, expelindo sexy-appeal, mas ele escolheu um tom mais baixo e sua voz ficou muito infantil.

Justin Whisnant – Here’s A Quarter Call Someone Who Cares (Travis Tritt) – Team Blake

idolometro

Quando se tem Adam Wakefield como concorrente, fica impossível preferir o Justin. Ele é um bom cantor country e parece que faria sucesso se recebesse algum investimento, mas essa performance foi muito linear e parecia não ter fim, de tão chata que foi. Resumindo: queria que o Blake tivesse resgatado Brittany Kennell ou Angie Keilhauer.

Alisan Porter – Cry Baby (Janis Joplin) – Team Christina

idolometro

Vocais incríveis, como de costume, mas sem tanta conexão com a música. Pra mim, se você decide cantar “Cry Baby”, você precisa se entregar. Precisa parecer um bebê que acabou de nascer e está chorando por conhecer a vida, completamente dependente e carente de atenção. Precisa estar vulnerável a receber qualquer ataque. E não foi isso que senti com a Alisan. Prefiro a versão da – quase xará – Allison Iraheta.

Veja também:

Comentários